Violência e saúde pública na Baixada Fluminense

O drama da violência na Baixada Fluminense

A chacina ocorrida no último fim de semana em um bar de Belford Roxo evidencia, mas uma vez, a crise gravíssima de segurança pública que o estado do Rio de Janeiro vem vivendo e que se configura como o maior desafio do atual governador Wilson Witzel.


Além do drama terrível da perda de vidas humanas, o episódio traz à tona a situação insustentável da saúde pública na Baixada Fluminense, com impacto direto em Nova Iguaçu.
O Hospital da Posse recebeu, apenas nos dias 29 e 30 de junho, o inacreditável número de 15 vítimas de perfuração por armas de fogo, sendo dez delas pacientes de outros municípios.
Com um esforço sobre-humano, nossa equipe conseguiu se desdobrar entre os seis centros cirúrgicos do Hospital da Posse e salvar 14 das 15 vidas que estavam em risco.


É fato inquestionável que o Hospital da Posse vem operando acima de sua capacidade física e financeira.Ser praticamente o único responsável por uma região de 3 milhões de pessoas (que devem chegar a 4 milhões no novo censo) não é apenas insustentável, é cruel com o cidadão pagador de impostos.
É fundamental lembrar que cenas de pacientes em macas, cadeiras ou alocados em corredores chocam, como deveria ser, mas é a única alternativa a deixar estas mesmas pessoas sem atendimento, pelas calçadas.A equipe médica que atende sob essas condições deve ser tratada como heróis e não vilões de um sistema que precisa ser repensado com urgência.


O governador Wilson Witzel entendeu este drama e ajudou a  mitigar o problema, com aumento dos repasses do estado ao Hospital da Posse. Mas apenas isto não basta.
É preciso criar leitos de retaguarda, para pacientes estabilizados continuarem seus tratamentos em outras unidades, agilizar o sistema de regulação de cirurgias eletivas e conscientizar municípios vizinhos a Nova Iguaçu da necessidade de investimento em unidades próprias de saúde.


Toda a minha solidariedade às famílias das vítimas de mais um episódio que mancha com sangue a nossa trajetória na construção de uma sociedade melhor.Que Deus, em sua imensa sabedoria, possa lhes trazer o conforto necessário para superar este momento de dor profunda.E que os homens façam a sua parte para transformar o cenário dramático da segurança e saúde pública na Baixada Fluminense.

Passo a Passo #2 – Hospital da Posse

Quando assumimos o governo, o Hospital da Posse prestava cerca de 7.000 atendimentos/mês. Hoje, realizamos aproximadamente 18.000 atendimentos. 50% destes atendimentos prestados a pessoas de fora de Nova Iguaçu.
É urgente que a União compreenda o papel fundamental do Hospital da Posse para a Baixada Fluminense e realize os repasses necessários para a unidade.
#PassoAPasso #oTrabalhoNãoPodeParar

Confira o vídeo completo: https://www.facebook.com/RogerioLisboaOFICIAL/videos/1058001437684211/

Visitando o Hospital da Posse

Em visita hoje ao Hospital da Posse, recebemos algumas reclamações sobre o tempo de atendimento na pediatria.
Além da grave crise financeira , a unidade tem um problema em sua capacidade de atendimento por ser responsável por toda a Baixada Fluminense.
Hoje, por exemplo, um acidente no Arco Metropolitano sobrecarregou quase toda a equipe ortopédica do hospital.
Estamos buscando soluções viáveis, tentando disponibilizar ortopedistas nas unidades 24 horas do município capazes de tratar os casos de menor gravidade, descentralizando o atendimento no Hospital da Posse.

Nosso compromisso de administrar junto à população segue firme. Ouvir de perto nossa gente é a única alternativa para construir uma Nova Iguaçu cada vez melhor para todos.
#OTrabalhoNãoPodeParar

Reunião em Brasília

Estivemos em Brasília com o novo Ministro da Saúde, Gilberto Occhi, expondo a situação dramática do Hospital da Posse e falando da necessidade emergencial de que a União regularize os repasses necessários ao funcionamento da unidade.

A conversa evoluiu muito bem e é mais um passo para que o maior hospital da Baixada Fluminense possa atender de forma mais ágil e eficiente a população.
#OTrabalhoNãoPodeParar

Seja sangue bom, seja doador!

Amanhã é o último dia da campanha de doação de sangue do Hemonúcleo do Hospital Geral de Nova Iguaçu.
O atendimento será de 8h às 13h.
Vamos mostrar a força da solidariedade de nossa gente!

Olha o que é preciso para ser um doador:
👉 Estar imunizado há 30 dias;
👉 Estar bem de saúde;
👉 Apresentar documento oficial de identidade com foto;
👉Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita antes dos 60 anos;
👉 Pesar mais de 50kg;
👉 Não ter ingerido bebida alcoólica 24h antes da doação;
👉 Não ter ingerido alimentos gordurosos 4 horas antes da doação;
👉 Jovens com 16 e 17 anos só podem doar com autorização dos pais ou responsáveis.
#Solidariedade #OTrabalhoNãoPodeParar